PLANTÃO DE NOTÍCIA
Search

Governo lança campanha por sexo seguro no carnaval ...Mote será 'Se tem festa, festaço ou festinha, tem que ter camisinha'.

Para ministro da Saúde, campanha será estendida a outras datas festivas.


Peça da campanha lançada nesta terça pelo Ministério da Saúde (Foto: Reprodução / Ministério da Saúde)Peça da campanha lançada nesta terça pelo Ministério da Saúde (Foto: Reprodução / Ministério da Saúde)
O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (24) a campanha deste ano por sexo seguro no carnaval. O tema será "Se tem festa, festaço ou festinha, tem que ter camisinha". O objetivo, segundo o ministério, é conscientizar o público com idade entre 15 e 49 anos sobre a importância do uso de preservativo na prevenção contra a Aids e demais doenças sexualmente transmissíveis.
Ministério da Saúde lançou campanha para sexo seguro no Carnaval (Foto: Filipe Matoso/G1)Ministério da Saúde lançou campanha para sexo
seguro no Carnaval (Foto: Filipe Matoso/G1)
Durante a campanha, que começará a ser exibida nesta terça, serão veiculados vídeos de 30 segundos na TV e em redes sociais. Também foram preparados jingles para emissoras de rádio.

A estratégia de divulgação da campanha vai fazer uso ainda de cartazes, anúncios na mídia impressa, outdoors, telas em postos de combustível e propagandas em ônibus. Haverá também distribuição de preservativo para a população.
Segundo  o ministro da Saúde, Arthur Chioro, é “fundamental” que a sociedade tenha postura “ativa” de prevenção e lide com o corpo “de forma responsável”. De acordo com o ministro, a campanha será estendida a outras datas festivas, como o período de festas juninas e a Copa do Mundo.
Cartaz da campanha do Ministério da Saúde pelo sexo seguro no carnaval (Foto: Divulgação/Ministério da Saúde)Cartaz da campanha do Ministério da Saúde pelo
sexo seguro no carnaval (Foto: Divulgação/
Ministério da Saúde)
“É uma campanha que trabalha com a ideia da prevenção não especificamente para um evento, o carnaval, a ideia de trabalhar com o tema nos reporta a necessidade de estarmos vigilantes e de trabalhar em todos os grupos etários na população brasileira. (...) A ideia é de que é fundamental trabalhar com a prevenção. (...) Sem perder a linha da prevenção, do diagnóstico precoce e do tratamento adequado”, disse o ministro.
De acordo com o Ministério da Saúde, a produção e veiculação da campanha custará cerca de R$ 15 milhões, e os vídeos serão exibidos em todo o país, mas de forma mais “intensa” nas cidades do Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Recife e Olinda (PE).

O ministro reforçou ainda a importância dos testes para o diagnóstico da Aids. “Todas as vezes que diagnosticamos a Aids, estamos interrompendo a cadeia de transmissão da doença. (...) Há um gesto solidário de interrupção da cadeia quando investimos na prevenção”, completou.
Segundo o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Jarbas Barbosa, 340 mil pessoas fazem tratamento da Aids no país e a estimativa é de que cerca de 150 mil brasileiros possuam o vírus HIV, mas não sabem.
Ainda de acordo com o secretário, em municípios onde há maior concentração de festas durante o carnaval, haverá centros de teste para que as pessoas se submetam a exames para fazer o teste de HIV.
“A gente espera que com a combinação das estratégias tradicionais de prevenção às DSTs [doenças sexualmente transmissíveis] e a campanha, a gente possa produzir uma modificação na trajetória pela infecção do HIV”, completou Jarbas Barbosa.
Ele também afirmou que o maior número de casos de pessoas com o vírus HIV está na região Sudeste. No entanto, segundo Barbosa, a região Norte “preocupa” pela tendência de crescimento dos índices. Ainda de acordo com o secretário, “chama a atenção” a região Sul e, “especificamente”, o Rio Grande do Sul. Ele, contudo, não apresentou dados.
do G1.


TAG

0 Você estar em: “