PLANTÃO DE NOTÍCIA
Search

Salário de profesor no RN é um dos piores do país

A função de um professor é a mesma em qualquer parte do Brasil: ensinar, educar, preparar. Porém, quando o assunto é o salário dos professores, existem enormes diferenças entre os estados brasileiros. Um professor no estado de Roraima ganha mais de quatro mil reais, no Maranhão a remuneração ultrapassa os três mil reais, enquanto que no Tocantins é superior aos dois mil reais. Somente descendo a ladeira salarial da educação é que encontramos o Rio Grande do Norte, que paga o pior salário dos Brasil aos professores. O salário médio pago a um docente pela atual administração estadual é de R$ 1.157,33. A constatação é de uma pesquisa realizada pela Apeoc (Sindicato dos Professores no Estado do Ceará) e tem como base a remuneração do professor iniciante com Licenciatura Plena e jornada de 40 horas-aula semanais ou 200 horas-aula mensais (incluindo as gratificações). Retirada as gratificações, considerando apenas o salário-base "seco", o Rio Grande do Norte passa para a vice-lanterna nacional, mas permanece na lanterninha da região Nordeste. Neste cenário, o RN tem um salário-base de R$ 868,00, ficando à frente apenas do Rio Grande do Sul (R$ 770,64). Quando se analisa o valor da hora-aula, o quadro continua o mesmo: último lugar, com uma hora-aula valendo R$ 5,79. Na comparação com o salário mínimo, o salário de professor da rede estadual potiguar também fica na última colocação. Enquanto o melhor salário pago ao professor no Brasil representa 7,42 salários-mínimos, no RN, ele vale apenas 2,12 salários. A diferença entre o maior salário pago ao professor no Nordeste (R$ 3.263,38, pago pelo Maranhão) e o menor (R$ 1.157,33, pago pelo RN) é de R$ 2.106,05. A diferença entre o maior (R$ 4.047,49, pago por Roraima) e o menor salário (R$ 1.157,33, pago pelo RN) no Brasil é de R$ 2.890,16. Os professores do RN têm um salário abaixo da média nacional e abaixo da média regional. De acordo com os dados da pesquisa, a hora-trabalho/aula do professor no Rio Grande do Norte é muito menor que de outros profissionais do mesmo nível escolar e até de escolaridade inferior.


TAG

0 Você estar em: “