PLANTÃO DE NOTÍCIA
Search


Inicialmente gostaria de informar que o criador e moderador deste portal não tem, absolutamente, nenhuma responsabilidade ou mesmo sugestão sobre esta produção ou qualquer outra por mim elaborada. O mesmo apenas, gentilmente e de forma democrática, cedeu-me o espaço de postar aquilo que me “der na telha”, se isentando de qualquer tipo de atribuição sobre o que eu escrever.


MEDO, COVARDIA, OMISSÃO OU AMBOS?
Resposta da resposta [PARTE 3]

Bem, para finalizar, gostaria de agradecer-lhe pela atenção, pela oportunidade do debate, pelo espaço concedido e, deixar a ti e todos os assíduos leitores do blog, alguns textos para meditação. Que fique bem claro, não estou a apontar ninguém, são apenas textos, nenhum da minha autoria, para quem quiser ler. Despeço-me! Mais uma vez, obrigado, como afirmei, não irei mais postar, mas, ao contrário de muitos, continuarei acrescentando números ao seu contador de acesso, pois gosto de ver todas as opiniões, vindas elas de onde vierem, estas, muitas das vezes, nos trazem ensinamentos valiosos e, são até capazes de mudar nossa forma de pensar, de agir…
Seguem os textos:


Se eu fosse um rato, eu me esconderia no lixo.
Se eu fosse um rato, eu não sentiria pena dos “humanos”.
Se eu fosse um rato, eu não pensaria.
Se eu fosse um rato, eu não sofreria.
Se eu fosse um rato, eu viveria sem ouvir os homens.
Se eu fosse um rato, eu não teria pesadelos dormindo e nem acordado.

Mas, infelizmente eu sou um homem e tenho que conviver com os meus.
Eu sinto pena das pessoas que vivem pior que um rato.
Eu sinto porque penso.
Eu sofro porque ouço o que os homens dizem.
Eu tenho pesadelos porque a humanidade é um pesadelo.

Parabéns senhores ratos, vocês são o que são...

E são: “FELIZES”.
(Américo S. Rissato)




Seguramente os gestores públicos precisam de uma boa estrutura de comunicação social para informar adequadamente aos cidadãos sobre o andamento dos projetos e ações desenvolvidas pela administração.

Para ser um bom profissional de comunicação e não apenas um bajulador oficial é indispensável que o profissional tenha discernimento suficiente para fazer uma adequada leitura da realidade. Como se sabe o ser humano percebe a realidade a partir de suas referências.

Quando o referencial pessoal é limitado, o trabalho desempenhado é sofrível e atende apenas aos egos daqueles que lhe paga o salário. 

Esse tipo de adulador é incapaz de fazer uma avaliação isenta da realidade. Apenas reproduz o que é ordenado e, corriqueiramente, descamba para a delinqüência. Além do mais, por não ter discernimento comete injustiças e, em alguns casos, até crimes a exemplo do ocorreu com o jornalista Carlos Santos (caso do blog “Paulo Doido”).

Quando o profissional responsável pela comunicação não é capaz de perceber a importância da própria função que desempenha e se ajoelha diante de algumas figuras que julga importantes para garantir apenas os caraminguás, é porque realmente é um incompetente.

Certamente não terá futuro na profissão e quando perceber que foi apenas manipulado, já estará chafurdando na lama.

“A receita para a perpétua ignorância, é permanecer satisfeito com as suas opiniões e contente com os seus conhecimentos”. (Elbert Hubbard).

QUEIROZ, C. F. (2011)



“A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela.”
(Max Frich)



Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.
[CAPÍTULO FINAL EM BREVE]

Por: Jandeilmo Cleidson (cleidão)


TAG

0 Você estar em: “